Ele retomou o fôlego, abriu a porta e seu passado o atingiu como um soco no estômago. Esperando por ele no assoalho, um envelope vermelho, escrito: “Isso foi só o começo, Roni, meu querido”.

Ele o abriu, mas estava vazio. Porém, aquele perfume foi suficiente para saber que ela estava de volta para cobrar a dívida.

“Até que a morte os separe.” Aquela frase subitamente voltou a martelar a sua cabeça. E então seus olhos viram o inacreditável, uma noiva cadavérica saiu das sombras do quarto e avançou em sua direção, atravessando sua carne e levando consigo a sua alma. Para, enfim, viverem felizes para sempre.

 

Escrito por Rafael Pedrosa, com trechos selecionados pelo ilustre público da página Se Conto Ninguém Acredita, através de uma mecânica dividida em 5 partes, onde os participantes escolhiam o trecho seguinte entre 3 opções, até a conclusão da história.

 

Rafael Pedrosa, 24 de junho de 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s